sábado, 12 de março de 2011

A Justiça (???) socialista, é esta!

Sem comentários, transcrevo uma carta que me foi enviada por email, e que relata um caso paradigmático. Decerto, que a Paula Pinela e os seus familiares, não foram os únicos a sofrer uma penalização por serem bons cidadãos. Leiam e julguem.

Eu, Paula Pinela e os meus familiares, esposo e filhos, residentes em Monte Abraão – Queluz em 2009, gozáva-mos as férias de verão na Costa Vicentina e decidimos ir á praia de Sines, no final do dia, seriam 17h, pelo que pensamos em ir comer um gelado ao Castelo.

Quando estávamos a subir a rua que liga a praia ao castelo deparamo-nos com um rapaz que estava a roubar uma mala a uma senhora, arrastando-a pelo alcatrão, e pondo-se de seguida, em fuga na nossa direcção. Atravessamos o carro para lhe cortarmos o caminho e
prestamos assistência á senhora. Chamámos o 112 e a Policia.

O meu marido pôs-se em perseguição do assaltante, tendo conseguido imobilizá-lo. Quando a policia chegou, prendeu o assaltante e nós fomos convidados a ir á esquadra prestar declarações e sermos testemunhas desta situação. A polícia felicitou o nosso acto de coragem.

No dia 27.10.2010 o tribunal de Santiago do Cacem notificou-nos, com pena de penalização, se não comparecesse-mos, para sermos testemunhas, deste caso. Nessa data deslocámo-nos de Monte Abraão - Queluz, até Santiago do Cacem. Ai chegados, somos avisados que o julgamento não se faria.

Como tinha-mos faltado no emprego, fomos pedir um documento, que justificasse e indicasse a razão e o porquê de ter-mos faltado ao trabalho, solicitando igualmente o reembolso das despesas, que tivemos com a deslocação.

Informam-nos que deviamos fazer um pedido ao Doutor Juiz, apresentando os comprovativos dos gastos, de gasolina, portagens, e indicar os quilómetros percorridos.

Nada nos foi dito, até receber-mos nova intimação, 17.01.2011. Mais uma vez comparecemos, e voltamos a pedir o reembolso das nossas despesas, seguindo o processo anterior. Apresentámos, facturas, no valor de 171,66 €, e mencionámos, que havíamos percorrido 320 quilómetros, durante as duas viagens.

A 17.02.2011, quase dois anos depois, recebi do tribunal de Santiago do Cacem uma carta em que começam por me acusar de ter exagerado na quilómetragem, mas que isso também era secundário, já que seriamos reembolsados pela tabela IV que manada pagar, 8.50 € por pessoa e deslocação. Portanto, no nosso caso seriam esses 8.50 €, multiplicados por quatro, perfazendo um total de 34 €. Valor esse que não paga sequer, uma ida de autocarro.

È esta justiça que temos.

Perco eu 2 dias de trabalho…não fui comer o gelado com os meus filhos…e tenho este "prémio" final, por ser bom cidadão.

O pai do assaltante, advogado de profissão, comprometeu-se a pagar todas as despesas á vitima, e o mariola, saiu em liberdade, com pena suspensa de um ano e meio e eu fico com o prejuízo de 137.66€, e todo o incómodo que vivi.

Será que vale a pena sermos bons cidadãos com a justiça que temos? Coma falta de bom senso da maioria dos Juízes, que libertam bandidos e penalizam quem cumpre com os seus deveres cívicos?

A resposta é não! Este país está um lodo, um local mal frequentado por políticos ladrões e irresponsáveis, protegidos por uma justiça (???) zarolha e colaboracionista com a exploração dos desgraçados mais pobres, que não teêm meios para se defender. Até quando?

1 comentário:

Jose disse...

A culpa é dos Juizes?
Dos Tribunais?
Ou será dos politicos, dos governantes que fazem as leis?
Já chega de culpar sempre os outros, culpem os responsaveis, e são sem duvida os governantes que fazem as leis que temos, e nem digo mais nada...